sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Momentos X

O número 10 é apenas um número, você é quem faz com que ele se torne importante.

Por Adenildo Lima

Momentos IX

O sonho acontece hoje, amanhã é um dia que não chega nunca. A realidade também acontece hoje.

Por Adenildo Lima

Momentos VIII

A solidão é um momento em que você pára pra poder ficar um pouco mais com você mesmo.

Por Adenildo Lima

Momentos VII

Disseram que papai Noel existe. Não acreditei, primeiro amei, depois descobri que tinha voltado a ser criança.

Por Adenildo Lima

Momentos VI

A felicidade é coisa pouca, basta apenas um olhar e ela surge.

Por Adenildo Lima

Momentos V

Quando senti o seu corpo, o meu estremeceu, o momento se consagrou ali.
Hoje, é aniversário da Gabi.

Por Adenildo Lima

Momentos IV

Uma flecha aperta e fecha o meu peito cortando-o de lado a lado, suas mãos cura-o ao tocá-lo.

Por Adenildo Lima

Momentos III

Os meus sonhos perderam o sentido quando você se foi, mas ao lembrar que a vida é o que vivemos; vivemos o suficiente para não chorar.

Por Adenildo Lima

Momentos II

Não precisa pedir desculpas, seu olhar já me falou, e isso basta!

Por Adenildo Lima

Momentos I

Eu posso até esquecer de tudo o que você falou, mas nunca vou esquecer o que vivemos. E quando eu lembrar o que vivemos, também lembrarei das palavras mais belas saindo da sua boca com o brilho do seu olhar.

Por Adenildo Lima

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Humano X Irracional

Que o ser humano é o único racional, não temos dúvidas. Nós somos únicos, somos capazes de pensar e, através do pensamento, agir com a razão.
A razão é o que diferencia o humano do irracional. O humano antes de fazer qualquer coisa, pensa, calcula e faz com a razão. O irracional não, apenas age por instinto.
Por isso, nós pensamos para fazer uma guerra, compramos armamentos pesados e vamos guerrear. Lá, matamos nossos irmãos, matamos pais, filhos... E no final um grupo sai vencedor. Ao voltar para casa, o país faz uma festa e os parabeniza, pelo sangue derramado de muitos. Isso somos nós.
A palavra RAZÃO, é possível perceber que ela vai perdendo o significado ao colocá-la diante da palavra emoção. Emoção X Razão: Ser humano confuso. Mas a razão é o que diferencia o ser humano do irracional.
Diante de tudo isso, é possível perceber que queremos uma coisa apenas: poder.
Por Adenildo Lima

domingo, 26 de outubro de 2008

Acreditem!

Acreditem: tenho tanta coisa para falar, escrever... mas no momento só o meu silêncio fala por mim.

por Adenildo Lima

sábado, 25 de outubro de 2008

Madrugada

É madrugada, o tempo fica sombrio, escondido por detrás de um sorriso solitário, talvez. Eu gosto muito das madrugadas, nunca neguei isso. Consigo ficar mais comigo mesmo, pensar mais sobre determinados assuntos. Em casa, todos dormem, mas eu continuo aqui, eu gosto de estar aqui. Fico com o som ligado em volume baixo... uma felicidade me abraça.

É um encontro tão gostoso este que tenho. Nas madrugadas costumo ler, escrever... no momento estou lendo Ovídio - poeta - o livro A arte de amar. É interessante a maneira como ele aborda o amor, ele que nasceu no ano 43 a.C.

Passei vários dias namorando este livro, várias vezes parei na banca de jornal, enquanto ia para o trabalho; olhava, olhava... até que hoje eu comprei. A arte de amar é um livro, pelo o que eu li até agora, onde o leitor vai se auto-descobrindo diante do amor, mesmo escrito há tantos anos é bem atual, em determinadas partes.

O amor, na verdade, é uma arte. Eu mesmo já cheguei a escrever nesta página que "Deixei de acreditar em tudo para acreditar apenas no amor". Amei esta frase pois, se eu acredito no amor, basta! Ultimamente, estou lendo uns livros que tratam da sexualidade, o sexo a cada dia que passa se desvaloriza mais diante das pessoas, até parece que o sexo é um objeto de prazer. Sexo é vida, é compartilhar momentos, vidas...

Precisamos voltar nossos olhares com mais observação, afinal, a união de dois corpos, se transformando em apenas um é algo... as palavras aqui não conseguirão definir.

por Adenildo Lima

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Momento íntimo

- Mari, eu te amo tanto. Às vezes fico procurando uma maneira para expressar este sentimento, é tanto amor, sabe? Eu me sinto tão bem quando estou ao seu lado, você me faz bem, a gente não briga - conversa, compartilha - eu gosto de ouvir a sua voz suave ao meu ouvido. Mari, cada segundo é tão importante, sabia? Foi num segundo que olhei dentro dos seus olhos, foi num segundo que senti seus lábios pela primeira vez, e levei apenas um segundo para dizer tudo que as palavras não conseguem explicar. Mari, eu te amo tanto, sabia? cada segundo da nossa vida é uma eternidade. Por isso não tenho medo de te perder, estou preparado pra tudo, eu sei o que você quer me dizer, mas antes eu quero que saibas que sempre vou te amar, você não é apenas uma namorada, é parte de mim, você se fez parte de mim, e isso está acima de tudo.
- Amor, eu também te amo, essas minhas lágrimas são sentimentos, você sabe. Me desculpa, me beija, preciso partir, você também é parte integrante de mim, e o término deste namoro não pode nos separar. Nunca!!!

Por Adenildo Lima

O muro de Berlim

O muro de Berlim já não existe mais. A história retrata em seus escritos e imagens que no dia 9 de novembro de 1989, ele foi derrubado. Berlim não era mais duas cidades. A Alemanha não estava mais dividida, a República Federativa da Alemanha e a República Democrática Alemã, passaram-se a ser República Federal da Alemanha. O mundo não estava mais dividido.

Hoje, atravessando uma favela, vi várias crianças; várias crianças! Elas estavam brincando. Que felicidade seria poder ver crianças brincando. Mas elas estavam brincando de armas; alguns com armas de brinquedos e outros simbolizavam através de um pedaço de pau. Parecia um treino, um treinamento para uma guerra futura, bem próxima, bem ali na sua frente! O muro de Berlim não existe mais.

A infância é o momento principal para a construção da Identidade do ser humano. Se o Estado no lugar de entregar um Centro Cultural, permite que essas crianças brinquem de armas... Como será o futuro da nossa pátria? Ainda bem que O muro de Berlim não existe mais.

A Lei (Brasil) diz em seus belos artigos e códigos que uma criança de 0 a 6 anos é um bem social, que todos nós somos responsáveis. Se por acaso alguém ver uma criança sendo maltratada, denuncie! O Estado fará alguma coisa. E assim, já podemos começar falando de milhares e milhares de crianças brasileiras sem escola, sem moradia, sem família... Mas fico feliz, pois sei que O muro de Berlim não existe mais.

Talvez você também saiba que o Muro de Berlim não existe mais. Talvez você tenha percebido que este texto inicia falando desse tal muro de Berlim, mas vai fugindo aos poucos, e começa a ser percebidO também uma utopia, uma afirmação "O muro de Berlim não existe mais". E eu pergunto: qual muro mesmo eu estou falando? será que me perdi na construção deste texto?

Por Adenildo Lima

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Um sonho de criança

A noite adormece, as luzes se apagam, as crianças dormem, os senhores e senhoras contam histórias (nas cidades pequenas), as mulheres passeiam nas ruas movimentadas; uma criança sonha na imagem de um poeta, na imagem de um artista do povo, mas a noite adormece e as crianças acordam.

Os cachorros passeiam sem donos, os bares cantam músicas para despertar a solidão de tantos solitários buscando uma tal felicidade. Muitos caem na balada, nas trash e se divertem como podem. Muitos tentam buscar a felicidade na ilusão de um beijo na boca dos desconhecidos; as meninas se divertem, os meninos se apropriam, mas um vazio continua naquela alma ferida e os beijos não serviram como remédio para curar aquela dor.

A menina, com a sual alma sensível, olha o nascer do sol diante da noite que some na ilusão daquele som dançante; diante dos seus olhos sobram apenas fleshes. Uma lágrima tenta cair dos seus olhos, mas aquela criança sonha na imagem de uma mulher feliz, de ter um namorado, um alguém que beije o seu corpo e se cubra com seus cabelos. Mas a noite adormece e as crianças sonham na imagem de um poeta, na imagem de um artista do povo.

O sol nasce e um calor ardente adentra a solidão ao voltar para casa. Chega em casa, deita, dorme cansadamente e sonha; Um sonho de criança. As meninas caminham pela rua dos seus desejos, e essas meninas já tem mais de 20 anos; outras, mais de trinta; outras, menos de 20. O vazio não tem idade... e as crianças continuam sonhando; Um sonho de criança.

Por Adenildo Lima

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Um boa noite

- Boa noite!
- Boa noite.

Não sei, mas eu desconfio que conheço essa garota.


- Por favor, você tem um minuto pra mim?
- Sim, tenho.
- Qual o seu nome?

Não sei, mas eu desconfio que conheço esse rapaz.

- Meu nome? depende do horário.
- Como assim?
- Sou atriz. Faço vários personagens.

Eu desconfiava que c0nhecia essa garota de algum lugar.

- E você, qual o seu nome?
- Não tenho nome, tenho apenas um nº de CPF.
- O quê?

Eu já desconfiava que ele é estranho.

- Tchau!
- Tchau!

Por Adenildo Lima

Internet

A internet é uma das maiores revoluções do homem moderno, disso não tenho dúvida. O mundo todo se conecta através dela, conhecemos as cidades, os lugares turísticos, temos acesso a maior biblioteca do mundo... através de seus recursos. Mas ela é quente e ao mesmo tempo fria.
O mesmo recurso da internet que muitos usam para fazer amizades, conseguir namoros, empregos, reencontrar amigos, parentes; este mesmo recurso pode afastar. Ter uma amizade virtual, é bom, ajuda a enganar um pouco da ilusão, ajuda a suportar um pouco da dor deste mundo existencialista, mas nunca gostei tanto de internet para firmar amizades.
Dizem que sou o tipo rapazinho metido a humano. Não se trata disso, eu sinto falta de olhar os olhos da pessoa, ouvir a voz, ter a sua presença diante de mim, poder abraçar, ter o seu calor; aquele calor humano. Isso a internet não tem, por isso a acho fria neste sentido. Mas sei que ela é muito útil, eu mesmo, trabalho o dia todo, usando-a. Até chego a dizer que para quem sabe usá-la é um dos melhores recursos da modernidade.
Por Adenildo Lima

domingo, 19 de outubro de 2008

A literatura

Tantos livros para serem lidos, tantos poemas para serem escritos: a literatura é uma arte. A literatura é história, a história faz parte da mundo, o mundo é história: a literatura é uma arte. O poder das palavras reina em seu uso, como é usada, como é utilizada: a literatura é uma arte. E toda arte é digna de ser vista, mesmo que não preste, mas não presta pra quem: pra você apenas ou para todos? A poesia, por exemplo, está em toda a arte, qual arte que não tem poesia? será que existe arte sem poesia? se existir, para mim, não é arte: literatura é uma arte. A arte é a alma da humanidade; aliás, a única coisa boa que sobra desta humanidade perversa: a literatura é uma arte - é gostosa a leitura da Clarisse Lispector, do Machado de Assis, do Patativa do Assaré, do Drummond, do Fernando Pessoa: a literatura é arte. E arte é vida. Mas a arte representa a vida ou a vida representa a arte? - a literatura é uma arte. Tantos livros para serem lidos, tantos poemas para serem escritos: a literatura é uma arte ...

Por Adenildo Lima

Nada existe

Nada existe, eu posso provar. A única coisa existente no mundo é a ilusão. Você pode dizer que estou errado, mas cada um fala conforme no que acredita. Nada existe, eu posso provar.

A existência é fleches, são fleches. Fleches de luzes passando diante dos nossos olhos. A sociedade vive se preparando para um futuro, mas o futuro não existe; muitos vivem presos a um passado, mas o passado também não existe, existe apenas essa ilusão.

Não diga que estou filosofando, não sou filósofo, sou apenas um animal pensante, e isso me diferencia do irracional. Uma flor é bela, mas o conceito de beleza também é relativo. A flor, por exemplo, não existe. Existe a ilusão de ter um dia uma vida cor de rosas. Mas se nada não existe, como pode existir também a ilusão?

Parece uma contradição, deste pobre menino escrevendo um texto falando da existência. A existência é fleches, são fleches. As luzes diante dos nossos olhos, as meninas caminhando pela calçada, com seu vestido, os animais catando lixo no lixeiro para se alimentar, o homem deitado no lixo como se fosse parte dele.

Na verdade, nenhum ser humano é tão digno de ser chamado de humano como aquele ser que se encontra no meio do lixo. Lixo na verdade somos nós que permitimos que ele esteja ali. Permitir no sentido de não lutar por um mundo melhor. Todos somos individualistas.

Somos individualistas, pensamos muito em nós, até a própria comunhão de um grupo religioso não existe, e na verdade devia existir. Ainda bem que descobri que Deus também não existe, existe apenas a ilusão de existir um DEUS, um ser superior para suprir essa existência tão vazia, tão inexistente.

O amigo leitor, a partir deste texto me chamará de louco, de depressivo, e eu direi: nunca dantes me senti tão bem. Por isso te convido a pensar sobre a existencialista, mas antes quero relembrar que a única coisa real que existe é a ilusão.

Por Adenildo Lima

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Eu e minhas crenças

Eu deixei de acreditar em tudo, para acreditar apenas no amor.

Por Adenildo Lima

A fome e um olhar

Andando pelas ruas da grande São Paulo, olho e observo os detalhes, que muitas vezes, muitos não conseguem enxergar. Enxergar é diferente de ver.

Uma mãe amamenta sua criança com o leite que sai dos seus peitos, muitas vezes, ela fica sem jeito para expor seu seios diante das pessoas, mas a criança tem fome e precisa se alimentar; a mãe a alimenta.

Um senhor sentado na calçada do teatro municipal é um artista excluído dos palcos, mas ele se vira, rebola, chora, implora, pira; tem vergonha de pedir, mas ele tem fome e precisa se alimentar; ele pede as migalhas que sobram da nossa mesa.

Uma negra limpa o escritório, e limpa, e varre, e tira a poeira, e organiza as coisas do senhor engravatado. Muitas vezes ela se cansa, o cansaço pede que ela sente um pouco, mas a poeira vem, e ela se levanta mais uma vez para limpar a mesa daquele homem. Ela sabe que são mais de cinco séculos fazendo isso, ela se cansa; mas ela tem fome e faz.

Um policial aborda um jovem garoto vindo do trabalho, o chama de vagabundo e ainda aponta uma arma para a sua cabeça; o garoto sabe que aquilo não é certo, mas ele ama a vida e continua seu trabalho, pois sua barriga tem fome.

E eu, diante de tudo isso. E você, diante de tudo isso. Somos um pouco de tudo isso?

Por Adenildo Lima

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Ao mestre com carinho

Tem um filme com o título "Ao mestre com carinho". É um dos filmes mais lindo que já assisti. Mostra na tela um amor de um professor para trabalhar com seus alunos. É lindo, lindo! Quando assisti ainda nao exercia esta função, mas me emocionei, pois sabia que seria um dia - o o jovem garoto dividindo conhecimentos com seus alunos.

Ser professor, é a profissão de maior responsabilidade dentro de um país; pena que o nosso valoriza tão pouco. É a responsabilidade de mostrar alguns passos na formação de uma criança, é um intermediador entre o meio, o sistema; é a responsabilidade maior de levar algo que possa ajudar a construir uma sociedade, uma sociedade; um país onde as pessoas conheçam no mínimo a própria identidade: a cultura de cada um, seus valores culturais.

"Ser professor é ser pai e ajudar os adolescentes a ser alguém na vida, neste mundo tão conturbado". - José de Lima - meu pai.

Quem na vida nunca teve um professor?

Parabens, professores!!!
Por Adenildo Lima

domingo, 12 de outubro de 2008

Começa a semana

A semana começa no domingo ou na segunda? às vezes fico me perguntando, mas no domingo é dia passear, como fiz hoje: centro cultural, uma cerveja, um bar e amigos; uma viagem pelo céu do planetário. Legal, agora preciso deitar, amanhã começa tudo de novo - rs - boa semana pra nós!!!!

Por Adenildo Lima

Nós dois: a eu e você!

Cada palavra, cada olhar vindo de você vale mais do que tudo o que possa imaginar. É real, poder estar contigo é um mistério, você é linda, carinhosa, sensível, amável. Somos tão felizes, lembra quando eu disse que te amava? Você até duvidou, mas agora descobriu que nos amamos juntos, né?

E quando nos finais de semana vamos ao cinema, ao teatro, a um parque de diversão, contamos nossas histórias... nosso presente é tão lindo, ainda bem que não existe passado nem futuro em nossas vidas, né?

Ah, tinha esquecido: seus cabelos são tão lindos, seu olhar é tão romôntico: te amo tá!


Por Adenildo Lima

Ela questiona

- Vinícius, qual a diferença do amor para a paixão?
- Não sei responder com palavras. Só vivendo.
- Mas você acredita no amor?
- Sim, até faço.
- E a paixão?
- Não faço, mas sei quando ela está comigo, o sono desaparece nas madrugadas e volto a ser uma criança pensante.
- Legal, acho que vou me apaixonar, e depois fazer amor.
- Se precisar de minha ajuda, estou aqui, Manuela.

Por Adenildo Lima

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Ao meu pai

Existem datas em nossas vidas em que consideramos como importantíssimas. O número dez, por exemplo, eu sempre tive um certo apego; acredito que seja devido a data do meu aniversário (10/12). Hoje é dia 10 de outubro, faz exatamente um ano que este número me trai uma lembrança doída (deixo claro - não acredito em numerologia - acredito apenas no amor). Faz um ano que o meu ilustre pai partiu.

Foi no dia 10 de outubro, às 10:10 minutos da manhã que ele ganhou asas e se foi; segundo relatou os médicos, médicos - os quais - fizeram uma cirurgia mal feita que o levou a este caminho. Confesso que não aprendi a conviver com esta falta. Em casa, falamos muito pouco, referente a este assunto, acredito que seja uma maneira de não acreditar nesta concretização. Sabemos que ele se foi, que ganhou asas e voou. Sabemos também que se foi apenas o seu corpo, pois o ser humano é aquilo o que faz, e ele continua vivo por tudo o que fez.

É um assunto muito forte para eu comentar, até mesmo num blog, como este. Hoje, assistindo Luiz Gonzaga; impossível não vê-lo presente. Há um mês, aproximadamente que os fleches do acontecido passam diante desta visão de filho. Nesta madrugada mesmo, sonhei muito com ele. Me senti presente. Ele, que via, muitas vezes em mim, a imagem de pai. Ele, que sonhava ver em seu filho um Advogado, um Médico (talvez)... mas se deparou diante de um garoto vindo da escola e falando: pai, sou professor. E ele disse: Ser professor é ser pai e ajudar os adolescentes neste mundo tão conturbado, a ser alguém na vida.

Não precisava falar mais nada, ele disse tudo... tudo! estava feliz - lembro claramente. E se eu for um por cento para os alunos do que ele foi (e é) para os filhos, serei ou já sou um grande professor. Este assunto é um tema que nós carnais não estamos acostumados. Foi como se tudo tivesse ido junto: família, amigos, estudos; vida. Mas eu não podia, tinha um TCC pra começar e terminar em pleno final de ano. Ergui a cabeça e fiz em menos de 15 dias. E tirei um 9. Tinha uma família, e eu precisava mostrar que estava ali.

Essa semana, uma amiga me escreveu e perguntou o motivo de eu não comentar neste assunto (com ela). Esta pergunta mexeu comigo, confesso. Ao deitar, fiquei umas duas horas sem dormir. Depois escrevi, e a agradeci. Acredito que aquela pergunta me deu coragem para escrever isto agora. Foi uma pergunta importante. Ali, ela se mostrava de ouvidos abertos para me escutar; acredito eu.

Naquele mesmo mês (outubro do ano passado), subi no palco do auditório da Unirsidade em que eu estudava, onde acontecia um sarau, e falei sobre a importância de ter uma família, a importância de falar sempre para as pessoas que estão ao seu lado: que as ama. O auditório todo, se emocionou. Quase não consegui fazer aquilo, fazia pouquíssimos dias; mas fiz. Eu sabia que preciso dar continuidade a tudo o que ele me ensinou:

Ele foi o meu primeiro professor, o meu herói, meu deus e senhor (e é). Me ensinou a descobrir o amor muito cedo, e a aprender a viver e conviver com o amor. Chorar? sim, choro. Mas quem teve ou tem um pai igual ao meu, não deve chorar de tristeza. Não estou falando, pelo motivo de ele ter partido, quem me conhece, sabe disso. No momento, não falo da minha mãe, pois não preciso falar para o mundo o que eu posso falar pra ela.

Faz um ano, é impossível todo o acontecido não ser revivido pelas lembranças, é impossível a minha face não ser lavada por uma lágria que cai, é impossível não olhar para as paredes e não ficar procurando um rosto; seria impossível eu não fazer isso. Não estou triste, sou apenas poeta, e filho (principalmente!). A leitura deste artigo não é para causar pena, estou muito bem, mas as palavras servem para eu desabafar.

Segue abaixo um poema que fiz poucos dias depois. Obrigado!

Flores das lágrimas

Diante das flores

As minhas lágrimas

Caíram como pétalas

De rosas.

Vendo o meu rei

Com aquela coroa

Entrei em prantos,

Ele não precisava de coroa

Para ser rei,

Ainda era muito jovem

Para receber aquelas flores.

Não tive coragem de olhar

Mais a sua face.

As flores murcham,

As rosas também.

O homem é matéria,

Mas um rei será sempre

Um rei.

Tempestade de água caindo,

Tempestade de flores feitas amores

Caindo pela pele da flor.

Pela flor da pele.

Um grito solto

No silêncio de cada olhar

Um grito aprisionado

Por não poder fazer mais nada.

Uma dor corroendo o peito

Os espinhos calcando os pés

Um abraço apaixonado da mulher-amiga

Um beijo respeitoso de tantas e de tantos...

A semente transformada em vários frutos

E um fruto transformado em semente

Se misturando a terra

O círculo diante dos olhos

Tentando entender o que ninguém

Nunca conseguirá explicar

Talvez a madrugada esteja

Fria demais para dormir

Com esta lembrança.

O olhar perdido pelas paredes

Da casa procura entender

Porque a terra é tão

Egocêntrica e individual

Um olhar perdido pela

Imensidão do tempo

Procura entender,

Ainda mais, o que é o amor.

Mas não me perguntem

Se amo,

Se eu for responder

Talvez eu perca tempo

Para amar.


Por Adenildo Lima


terça-feira, 7 de outubro de 2008

O mundo e as palavras

A palavra interpretar, encontramos em todos os lugares, perdida por aí...rs....

Interpretação de texto, é algo muito sério, vivo isso todos os dias. É preciso enxergar cada palavra que forma o contexto, ao contrário, muitas vezes, fazemos interpretações precipitadas... e fica uma bananada só: No lugar de interpretar: acredite mais em você, leia os outros, mas não se prendam se sentindo incapazes de escrever alguma coisa, você também pode. Interpretam tudo ao contrário... rs.... Legal... afinal, uma interpretação será conforme a leitura de cada um.

É isso aí....


Por Adenildo Lima

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

O falar bonito

Quantas e tantas histórias estão soltas por aí para serem escritas!? Em cada esquina, em cada olhar, em cada mesa vazia, em cada desespero da mãe sem poder amamentar seu filho, em cada olhar de um pai sem ter emprego para suprir os gritos da família em sua casa procurando o pão.

As pessoas se preocupam demais para construir um texto. Ficam procurando palavras... palavras... e acabam matando a essência, a coerência (humana). Eu, não tenho apegos a dicionários; sei que é importante, quando sabemos usá-lo, mas para falar uma linguagem que todos possam ter acesso, deixo-o de lado, na maior parte das vezes.

Eu também não gosto de ficar consultando gramáticas. Um livro de gramática é muito útil, assim, como um dicionário. O falar bonito para mim, não é aquele com um linguajar formal, culto, padrão... essa linguagem eu costumo deixar para o Pasquale, aquele boneco construído pela MÍDIA que é mesmo uma MÉDIA. Deixo tambem para os estudiosos, eles adoram repetir o que os outros falam.

Eu, por sinal, gosto de falar bobagens... gosto de falar palavras... palavras... aos poucos vejo-as se transformando em frases, em textos; em essência humana, aí, fico feliz. Muitas vezes até vejo as minhas palavras se transformando em lágrimas, às vezes de tristeza, outras vezes, de alegria.

Existem milhões de textos querendo serem escritos, não tenha medo, não se acanhe, não fique admirando apenas os autores que já morreram, você está vivo, pode escrever o hoje, o agora, faça isso. É isso que eu estou fazendo. E você, vai ficar com medo, exaltando aos outros?

por Adenildo Lima


quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Minha caricatura


Hoje a artista Açunciara Aizawa fez minha caricatura, enquanto brincávamos lá na empresa. Ela jura que parece comigo, não sei (rs), sinceramente, não sei.


Por Adenildo Lima

Agradecimentos

Hoje, primeiro de outubro, 23:30min. agradeço a todos os leitores deste blog. Vocês são os verdadeiros enigmas de um mistério (rs).

Que tenhamos um ótimo mês de outubro!!!

Brigadooooooooo